98,9 SINOP
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
1 mês atrás - 30/11/2021

Famílias carentes terão direito a vale-gás no próximo mês

FOTO: Agência Brasil
FOTO: Agência Brasil

A partir de dezembro, o governo federal pagará um vale-gás a famílias de baixa renda, para recompor a alta do preço do gás de cozinha. O Programa Gás do Brasileiros foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro na semana passada e ficará em vigor por cinco anos.


Desta forma, tem direito ao benefício, as famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário-mínimo nacional, ou famílias que tenham entre os integrantes que receba o Benefício de Prestação Continuada, conhecido como BPC.


Nesse primeiro mês, o Ministério da Cidadania informou que utilizará recursos próprios da pasta, para fazer o pagamento no valor de R$ 300 milhões. Já referente aos custeios de 2022, o governo ainda precisa encontrar espaço para a liberação de recursos do orçamento.


Cada família elegível receberá, a cada dois meses, o valor correspondente a uma parcela de, no mínimo, 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 quilos de gás de cozinha, estabelecido pelo Sistema de Levantamento de Preços, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nos seis meses anteriores, conforme regras que ainda serão definidas em decreto.


De acordo com o levantamento, o valor médio do botijão em 2021 é de R$ 102,48. Ou seja, cada família deve receber R$ 51,24. A estimativa para o ano que vem é que o valor médio do botijão suba para R$ 112,48.


Vale destacar que o governo utilizará a estrutura do Programa Auxílio Brasil para realizar os pagamentos do vale-gás, por meio da Caixa Econômica Federal.


Ele será concedido, preferencialmente, às famílias com mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência. A preferência de pagamento também será para a mulher responsável pela família.

FONTE: Lívia Kriukas e Jean Lucas / Com Agência Brasil